Supera RJ: Entenda como fazer o cadastro

Supera RJ: Entenda como fazer o cadastro

6 de julho de 2021 0 Por admin

Com a inauguração do Supera Rio na semana passada, alguns beneficiários já receberam os cartões no sábado, dia 05 de junho. Dessa forma, o programa iniciou com os moradores da capital carioca. No entanto, hoje, 08 de junho, aqueles com inscrição no Cadastro Único do Governo Federal poderão receber o cartão do Supera Rio. Assim, todo o estado do Rio de Janeiro poderá contar com o benefício.
De acordo com o Governo Estadual, então, serão 42.569 famílias com inscrição no Cadastro Único a participar da primeira fase do programa. Nesse sentido, as cidades do interior contarão com 19.354 famílias para receber o cartão do programa.
Além disso, é importante lembrar que de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o estado do Rio de Janeiro chegou a um recorde histórico de desemprego no primeiro trimestre de 2021. Foram 1,6 milhão de pessoas nessa situação, de forma que o estado possui se encontra no quinto colocado de maior taxa do Brasil. Portanto, o benefício se mostra como necessário à população.
Inicialmente, o Governo declara que as pessoas com inscrição no Cadastro Único e que, de acordo com seus dados cadastrais, se encaixe nos requisitos do programa, já receberá uma notificação. Ela, então, poderá ser por meio de mensagem de texto, no celular. Contudo, caso a pessoa não receba a notificação do estado, poderá procurar os portais online. Basta acessar o site www.superarj.rj.gov.br para se inscrever.

Quem tem direito ao benefício?


A estimativa, durante as duas fases do Supera Rio é que ele atenda 355 mil famílias. Tal cálculo se faz a partir da quantidade de famílias dentro da condição de pobreza e extrema pobreza no Rio de Janeiro. Nesse sentido, poderão receber o benefício aqueles que:
• São maiores de 18 anos de idade, com exceção das mães adolescentes.
• Residem no estado do Rio de Janeiro.
• Possuam uma renda mensal igual ou menor que R$ 178 por pessoa.
• Tenham inscrição no Cadastro Único.
• Sejam trabalhadores que tinham uma renda mensal de até R$ 1.501, mas que ficaram desempregados a partir de 13 de março de 2020.
• Não sejam os beneficiários do Bolsa Família, auxílio emergencial no âmbito federal e municipal. Ou, que não recebam outros benefícios assistenciais.
• Não somaram rendimentos iguais ou maiores que R$ 28.559,70 em 2020.
• Profissionais autônomos, trabalhadores de economia popular solidária, agricultores familiares, microempreendedores individuais, agentes e produtores culturais, aos profissionais autônomos, inclusive os agentes e produtores culturais, costureiras, cabeleireiros, manicures, esteticistas, maquiadores, artistas plásticos, sapateiros, cozinheiros, massagistas e empreendedores sociais.