Secretaria de Direitos Humanos do Rio de Janeiro alerta pais e responsáveis sobre desaparecimento de crianças

Secretaria de Direitos Humanos do Rio de Janeiro alerta pais e responsáveis sobre desaparecimento de crianças

27 de maio de 2020 0 Por admin

A Fundação para Criança e Adolescência (FIA), ligada à Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSODH), coordena o S.O.S. Crianças Desaparecidas, programa que já localizou 3.115 crianças e adolescentes ao longo dos seus mais de 24 anos de atuação.

– O Estado do Rio de Janeiro tem atualmente 575 crianças que sumiram e esta data é uma oportunidade para reforçar o alerta entre pais e responsáveis para se prevenirem e evitarem que seus filhos façam parte dessa triste lista – destaca a secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Fernanda Titonel.

Para procurar reduzir estes números, a  SEDSODH mantém a Coordenadoria de Prevenção e Enfrentamento ao Desaparecimento de Pessoas. Criada em janeiro de 2019 pelo governador Wilson Witzel e liderada por Jovita Belfort, mãe de Priscila, uma jovem que desapareceu há 16 anos no Rio, a Coordenadoria é a única no país.

– Recentemente criamos o Comitê Estadual de Pessoas Desaparecidas (Decreto Estadual no 47.017/2020) e prestamos consultoria para a criação da Frente Parlamentar de Pessoas Desaparecidas da Alerj – enumerou Jovita. Denúncias também podem ser feitas pelo Disque Cidadania e Direitos Humanos (0800 0234567), que funciona todos os dias, 24 horas por dia.

– É de suma importância enfatizar que a prevenção ainda é a melhor solução – afirmou a presidente da FIA, Ana Mantuano. 

Se tiver informações sobre algum jovem desaparecido ou queira divulgar um novo caso, entre em contato com o programa pelos telefones (21) 2286-8337 ou (21) 98596-5296. Mais detalhes no site: www.soscriancasdesaparecidas.rj.gov.br

Dicas de como se previnir do desaparecimento de crianças e adolescentes:

  1.  Tirar o RG da criança o mais cedo possível
  2.  Estar sempre alerta em locais públicos
  3.  Orientar a criança pra não dar atenção a desconhecidos  
  4.  Manter diálogo para evitar conflitos familiares
  5.  Colocar identificação com telefone na criança antes de sair de casa.
  6.  Ensiná-la a falar o nome dos pais e um telefone para contato.

O que fazer em caso de desaparecimento:

 – Registre o fato na delegacia de polícia mais próxima;
– Procure em hospitais, prontos-socorros e abrigos públicos;
– Descarte a possibilidade de falecimento junto à delegacia ou indo diretamente ao Instituto Médico Legal (IML); 
– Divulgue o desaparecimento para amigos, familiares e redes sociais;   
– Entre em contato com os seguintes serviços, que funcionam 24 horas por dia: 

Polícia Militar – emergência 190
Delegacia de Descobertas de Paradeiros (2202-0338 / 98322-0228)
Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (2779-6622)
Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (2717-2838 / 98322-0228)